Administrador | Plataforma Educativa

A exposição Livro de artista

A exposição Livro de artista: um híbrido de Schwanke consiste na 1ª Edição do projeto SCHWANKE: destaque, e coloca em discussão um dos três livros de artista por ele produzidos, o qual está sendo mostrado pela terceira vez. A exposição está pautada em uma proposta de curadoria educativa denominada Schwanke, o livro e eu, por meio da qual foi produzido um material de apoio ao professor de forma amarrada com a proposta de mediação. No andar de cima do espaço, foi organizado um ateliê de criação, no qual os estudantes terão a oportunidade de vivenciar a experiência poética de livro de artista. Também será oferecida uma oficina para professores. Para agendamentos e informações escreva para...

Livro “Interlocuções Possíveis Kosuth e Schwanke” ganha lançamento na Fundação Cultural Badesc

Fundação Cultural Badesc recebe na sexta-feira, 13 de abril, às 19h, o lançamento do livro Interlocuções Possíveis Kosuth e Schwanke, organizado por Maria Regina Schwanke Schroeder, Néri Pedroso e Rosângela Cherem. A publicação bilíngue é uma realização do Instituto Schwanke e do Museu de Arte Contemporânea Luiz Henrique Schwanke, e é um desdobramento do projeto que em 2013 levou a Joinville o artista experimental norte-americano Joseph Kosuth, um dos expoentes da arte conceitual. A publicação de 260 páginas inclui a conferência Uma Dupla Leitura, proferida por Joseph Kosuth no projeto Arte Conceitual: realidade e consistência?, realizado para marcar a celebração dos 10 anos do Instituto Schwanke, mantenedor do Museu de Arte Contemporânea Schwanke (MAC), em Joinville. O evento atraiu pesquisadores vindos de diferentes Estados do Brasil, professores e alunos universitários, vinculados aos cursos de artes visuais, design, arquitetura, comunicação social e demais interessados em filosofia e história da arte. O livro agrega ainda os textos de Fernanda Pereira Medina, Sandra Tireck Junqueira, Euler Renato Westphal e uma entrevista realizada por Néri Pedroso com Paulo Herkenhoff, crítico de arte que também integrou o projeto como conferencista. Além disso, a obra abre um campo de reflexão sobre linguagem, filosofia, vanguarda e história da arte e ajuda o Instituto Schwanke a cumprir o seu compromisso de produzir memória e pensamento em torno do artista joinvilense, que morreu em 1992, deixando um legado no panorama da arte brasileira. A publicação tem apoio do município e Secretaria de Cultura e Turismo de Joinville por meio do Sistema Municipal de Desenvolvimento para a Cultura. Também conta com a colaboração da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Universidade da Região de Joinville (Univille) e Sirius AB...

Inédito Schwanke

Inédito Schwanke Fundação Cultural Badesc abre mostra do artista com curadoria de Rosângela Cherem A Fundação Cultural Badesc abre, no dia 1º de dezembro, a exposição Schwanke, Habitar os Incorporais, que reúne 89 trabalhos do artista Luiz Henrique Schwanke (1951-1992) em todas as salas expositivas. A curadoria é da professora e doutora Rosângela Miranda Cherem. Entre as obras, a maioria nunca expostas em Florianópolis, estão as “Sem Título”, criadas entre 1988 e 1991, apelidadas como mandala, perfis, maletas, pregadores de roupas, cuja matéria-prima é o plástico. Além disso, a seleção inclui a chamada fase das revisitações, em que o artista descontrói a referência original de telas de Georges La Tour, Canova e Leonardo da Vinci, entre outras, adotando signos do design contemporâneo. O público também poderá apreciar desenhos e pinturas de diferentes fases, como os sonetos, os Cristos e os shorts. Inéditos na Capital, “Cobra Coral”, instalada no jardim, e a instalação “Claro-escuro” (1990) composta de plotagem, ferro, 24 spots de luz e 24 espetos. A iniciativa da mostra é uma parceria entre a Fundação Cultural Badesc e o MAC Schwanke, cuja sede fica em Joinville. Desde 1994, quando a mostra Vida Schwanke Vivo ocorreu no Museu de Arte de Santa Catarina, Florianópolis não via um conjunto tão expressivo da produção do joinvilense que se alinhou a diferentes correntes e linguagens, da pop art ao neo-expressionismo, concretismo, construtivismo e ao minimalismo. Como poucos em Santa Catarina, embaralhou arte e ciência, tempo e espaço, luz e ausência, transparência e luminosidade. A curadoria é um desdobramento do curso Schwanke, Arquivo, Interlocuções e Desdobramentos, realizado no segundo semestre no Instituto Schwanke em...