Administrador | Plataforma Educativa

Inédito Schwanke

Inédito Schwanke Fundação Cultural Badesc abre mostra do artista com curadoria de Rosângela Cherem A Fundação Cultural Badesc abre, no dia 1º de dezembro, a exposição Schwanke, Habitar os Incorporais, que reúne 89 trabalhos do artista Luiz Henrique Schwanke (1951-1992) em todas as salas expositivas. A curadoria é da professora e doutora Rosângela Miranda Cherem. Entre as obras, a maioria nunca expostas em Florianópolis, estão as “Sem Título”, criadas entre 1988 e 1991, apelidadas como mandala, perfis, maletas, pregadores de roupas, cuja matéria-prima é o plástico. Além disso, a seleção inclui a chamada fase das revisitações, em que o artista descontrói a referência original de telas de Georges La Tour, Canova e Leonardo da Vinci, entre outras, adotando signos do design contemporâneo. O público também poderá apreciar desenhos e pinturas de diferentes fases, como os sonetos, os Cristos e os shorts. Inéditos na Capital, “Cobra Coral”, instalada no jardim, e a instalação “Claro-escuro” (1990) composta de plotagem, ferro, 24 spots de luz e 24 espetos. A iniciativa da mostra é uma parceria entre a Fundação Cultural Badesc e o MAC Schwanke, cuja sede fica em Joinville. Desde 1994, quando a mostra Vida Schwanke Vivo ocorreu no Museu de Arte de Santa Catarina, Florianópolis não via um conjunto tão expressivo da produção do joinvilense que se alinhou a diferentes correntes e linguagens, da pop art ao neo-expressionismo, concretismo, construtivismo e ao minimalismo. Como poucos em Santa Catarina, embaralhou arte e ciência, tempo e espaço, luz e ausência, transparência e luminosidade. A curadoria é um desdobramento do curso Schwanke, Arquivo, Interlocuções e Desdobramentos, realizado no segundo semestre no Instituto Schwanke em...

Curso de extensão SCHWANKE, Arquivo, Interlocuções e Desdobramentos

Inscrições via formulário: Acesse o formulário clicando aqui Título: Luiz Henrique Schwanke, Arquivo, Interlocuções e Desdobramentos Cronograma: Quatro sábados: 20 de agosto, 17 de setembro, 8 de outubro, 5 de novembro: 8h às 12h; 14h às 18h – com coffee-break. Cada encontro será de 10 horas/aula, total de 40 horas/aula Local: Instituto Schwanke, rua João Colin, 1.285, sobreloja da Brasilauto, bairro América, Joinville tel.: (47) 9919-3680/3433-2522 instituto.schwanke@gmail.com Promoção: Instituto Schwanke, Univille, PPGAV- Ceart/Udesc e Fundação Badesc I- Ementário: A obra de Luiz Henrique Schwanke a partir da singularidade de seu repertório e arquivo; os paradoxos contidos nas obras e trabalhos; as filiações e pertencimentos inscritos na história da arte; as experimentações que marcaram sua produção e que reverberam até a contemporaneidade. II- Objetivos: A partir da obra de Schwanke: *Identificar as singularidades que compõem seu arquivo conceitual e imagético. *Considerar os principais paradoxos contidos no seu gesto: racional (geometria, matéria)/emocional (gestual e expressão). *Reconhecer suas filiações e pertencimentos inscritos na história da arte. *Reconhecer suas experimentações que marcaram sua produção e que reverberam entre os artistas mais recentes. III- Principais fundamentos conceituais ** O arquivo e seu campo de saberes Pertence a Michel Foucault a reflexão sobre ser o arquivo, não um lugar onde se encontra a soma de textos guardados e nem um mero depositório de testemunhos do passado e das instituições, mas um sistema de enunciados que faz com que as coisas se tornem compostos de heranças e esquecimentos em constante atualização. Trata-se da dimensão imaterial que se rearma por fragmentos e níveis, permite formular diagnósticos e reconhecer padrões. Conforme tal entendimento, o arquivo pressupõe que os...