Palestra Joseph Kosuth | Plataforma Educativa

Palestra Joseph Kosuth
Arte Conceitual: realidade e consistência?

Aprovação
SIMDEC – Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura – Mecenato Municipal – Portaria de aprovação nº 059/2012

Área cultural
Artes Visuais

Valor
R$ 40.000,00

Prazo para captação de recursos
Captação de recursos realizada em janeiro de 2013 – IPTU

Ano de desenvolvimento
Previsão para 2013 a 2014

Objetivos
Realizar palestra com o artista americano Joseph Kosuth para abrir as comemorações dos 10 anos de fundação do Instituto Luiz Henrique Schwanke. O evento aconteceu no dia 29 de agosto de 2013. O encontro integrou o projeto “Arte Conceitual: Realidade e Consistência?”. Kosuth estreia uma série de seis encontros previstos no projeto, que tem como público-alvo educadores da rede de ensino municipal e estadual, professores e alunos universitários, vinculados aos cursos de artes visuais, design, arquitetura, comunicação social e demais interessados em filosofia e história da arte.

Imprensa
20/05/2013
Instituto Schwanke traz o pai da arte conceitual, Joseph Kosuth, para palestra em Santa Catarina

Palestra Joseph Kosuth
23/05/2013
Instituto Schwanke traz a Joinville o americano Joseph Kosuth

28/05/2013
Olhar apurado

29/06/2013
Dez anos do Instituto Schwanke prevê a vinda de Joseph Kosuth a Joinville

02/08/2013
Para Joseph Kosuth, maior artista conceitual vivo, “arte não é sobre beleza”

12/08/2013
Joseph Kosuth em Joinville

28/08/2013
Instituto Schwanke traz o mestre da arte conceitual para Joinville

29/08/2013
Inscrições encerradas para encontro com Joseph Kosuth

25/10/2013
Diretoras do Instituto Schwanke falam sobre a importância da formação artística

Joseph Kosuth realiza palestra em evento no Instituto Schwanke

Sobre Joseph Kosuth
Aos 68 anos, Joseph Kosuth nascido em Toledo/Ohio (EUA), é considerado um ícone da arte conceitual, provocador de reflexões acerca da natureza da arte, construção e desconstrução de significados, representação do concreto na linguagem escrita e sua abstração. Kosuth entende que a produção da arte vai além de formas e cores, que o espectador também cria e que potencialmente tudo é material para arte, pela possibilidade de relação com a vida das pessoas. O artista foi editor da revista Art & Language, influente periódico voltado à geração de artistas conceituais britânicos e norte-americanos na década de 1960. Ele esteve no Brasil em 2010 para participar da 29ª Bienal de São Paulo. Seu mais emblemático trabalho, “Uma e três cadeiras” (1965), foi criado quando ele tinha apenas 20 anos.